Ex-presidente e atual senador por Alagoas, Fernando Collor, participa na quarta-feira (1), às 18h, de uma entrevista com transmissão ao vivo pelo Facebook do Yahoo Notícias, sobre o atual momento político do Brasil, a crise no governo do presidente Jair Bolsonaro, seu próprio governo e o processo de impeachment que sofreu em 1992.


Eleito pelo PROS, o senador Fernando Collor voltou aos holofotes após ter adotado uma postura mais presente - e irônica - nas redes sociais.


O ex-presidente não tem fugido de temas polêmicos, como o bloqueio de parte do saldo de cadernetas de poupança e contas-correntes durante seu governo, em 1990. Recentemente, em uma sequência de publicações na rede social, Collor afirmou que a “decisão foi dificílima” e pediu desculpas pela medida.


Fernando Collor foi o primeiro presidente eleito pelo voto direto depois de quase 30 anos. Na época, o Brasil enfrentava uma inflação de 84% ao mês.


Como parte do Plano Collor para estabilização da economia, o governo limitou os saques. A medida não deu certo e ainda prejudicou muitos brasileiros, levando à morte pessoas que usariam o dinheiro para tratamentos de doença ou que cometeram suicídio por conta do bloqueio das cadernetas de poupança.


Logo nos primeiros 100 dias de governo, ele foi acusado de envolvimento em um esquema de corrupção comandado pelo ex-tesoureiro de campanha Paulo César Farias. 


O Congresso Nacional criou, então, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias. O pouco apoio parlamentar foi deteriorado devido ao resultado da CPI aliado ao desgaste popular, agravado principalmente por causa das medidas econômicas impopulares. O impedimento foi aprovado por 441 parlamentares.